Ainda falando sobre recordes

29 Oct

Me desculpem pelo longo período sem escrever aqui, mas com uma batida de carro no início desta semana e vida cotidiana ficou um pouco mais complicada. Como eu disse no ultimo post, quebrar um recorde mundial de velocidade não é simplesmente voar mais rápido. Tem muito coisa envolvida nesta história que não aparece depois do recorde quebrado, mas que é essencial para que ele seja, de fato, quebrado. Um destes pequenos detalhes é qual a trajetória deve ser seguida… Vc deve estar pensando, mas como assim? Não é recorde de velocidade nivelada? Pois é… temos que voltar na história para podermos entender estes recordes. ainda na primeira década do século 20 a Federação Aeronáutica Internacional começou a organizar os recordes aeronáuticos. Com o intuito de estabelecer padrões para estes recordes, sobretudo de velocidade, era necessário estabelecer limites de variação de altitude que “garantissem” que a tomada de velocidade fosse feita “nivelada”. Assim, o padrão de variação de altitude estabelecido foi de 100 metros, o que, para a precisão dos instrumentos da época e para o desempenho das aeronaves da época, era uma boa aproximação para o “vôo nivelado”. Acontece que a evolução da aviação melhorou muito a precisão dos instrumentos e o desempenho das aeronaves cresceu mais ainda. Hoje, 100m, sobretudo para os recordes de 3km (mais 1km de zona de aproximação) é uma descida considerável. Como a regra do jogo não pode ser mudada, ainda prevalecem o limite de 100m, e quem quer bater este recorde tem que saber explorar esta vantagem.

O avião que inspirou o projeto CEA-308, o AR-5 do produtor de vídeos norte-americano, Mike Arnold, é um excelente exemplo do bom uso desta tática. O AR-5, equipado com um motor Rotax 582 (64hp) conseguia em vôo reto-nivelado cerca de 175mph TAS que nos dá aproximadamente 280km/h. Entretanto, o seu recorde mundial de velocidade em 3km, estabelecido em 1992, foi de 340.8 km/h… Como? Isto mesmo, mais de 60km/h a mais! Isto só é possível porque a entrada dos 4km (1km de estabilização e 3km de medição) é feita na VNE da aeronave e durante estes 4km a aeronave desce suavemente. Nestas aeronaves de alto desempenho esta pequena descida é quase suficiente para manter a aeronave na velocidade máxima dela! Com o CEA-308, já alcançamos nivelado (nivelado mesmo) é de 306km/h e em mergulho já fomos a 370km/h… Vcs podem imaginar o que isto pode dar???

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: